0
Por favor log in ou registrar gosto de posts.

Юмор или просто Прикольные фотки (58  фото)

A primeira ligação de celular foi feita em 1973

• Confira aqui a história do celular no brasil

Completamente integrado ao cotidiano das pessoas, principalmente nos grandes centros urbanos, o telefone celular causou um enorme espanto há 31 anos, quando foi realizada a primeira ligação pública utilizando-se um aparelho portátil, no dia 3 de abril de 1973. Na ocasião, o pesquisador da Motorola Martin Cooper ligou para um telefone fixo diretamente de uma esquina do centro de Nova Iorque, nos Estados Unidos.

O aparelho utilizado pesava cerca de um quilo e media 25 cm de comprimento por 7 cm de largura, com uma bateria que se esgotava após 20 minutos de conversa, um verdadeiro absurdo se comparado aos minúsculos telefones celulares de hoje. A inovação do início da década de 70 significou um importante avanço tecnológico em relação aos telefones móveis que vinham sendo utilizados em automóveis desde os anos 40.

A invenção, entretanto, só passou a ser comercializada 10 anos mais tarde, em 1983, quando a própria Motorola lançou no mercado mundial o modelo DynaTAC 8000X. Apesar do alto preço inicial, cerca de quatro mil dólares, o aparelho foi rapidamente aceito pelos consumidores, que chegaram a se inscrever em listas de espera com milhares de nomes.

A explosão imediata do consumo gerou uma severa disputa entre as empresas de telefonia, que passaram a investir pesado em busca de avanços tecnológicos que possibilitassem o aumento da qualidade e da quantidade de serviços e produtos, sempre tendo em vista a redução do custo final.

A busca incessante por novidades que atraíssem os consumidores fez com que o mercado de telefones celulares se tornasse um dos mais competitivos do mundo, demandando não só pesquisas de produtos, mas um grande investimento em marketing. Hoje, as empresas do setor – tanto fabricantes de aparelhos quanto concessionárias de telefonia – estão entre os principais anunciantes do mercado publicitário mundial.

Do tijolo ao satélite – O telefone celular, como resultado deste processo, passou a ser algo mais acessível, independentemente da classe social ou região geográfica das pessoas, e ao mesmo tempo incorporou funções que extrapolam a simples transmissão de voz.

Nos últimos 20 anos, o que antes era pesado, robusto e cinza-escuro tornou-se um objeto atraente, leve, com uma imensa variedade de cores e modelos, adequando-se ao gosto do mais exigente consumidor. O antigo “tijolão” deu lugar a um novo tipo de aparelho que extrapola o conceito de telefone e mais se assemelha a um pequeno computador de bolso.

Atualmente, são oferecidos serviços que vão do simples envio de mensagens escritas à recepção de filmes e programas de TV, passando por câmeras digitais, teleconferências, acesso à internet, noticiários, troca de arquivos de computador e a incorporação de sistemas de telelocalização, com a utilização de receptores GPS – Global Positioning System (Sistema de Posicionamento Global), que permitem a definição da posição geográfica da pessoa através de uma rede de satélites, com uma margem de erro de menos de um metro.

Fusão de telefone e rádio

O surgimento do celular é um capítulo da história do telefone, mas está mais ligado à invenção do rádio. O telefone, criado pelo escocês Alexander Graham Bell em 1876, foi inspirado pelo telégrafo, criado em 1835 e que conseguia transmitir mensagens entre pontos distantes. Acontece que as informações vinham em códigos e não em sons.

Graham Bell conseguiu adaptar a tecnologia transmitindo a voz através de um fio. Porém, com os primeiros aparelhos não era possível falar e ouvir ao mesmo tempo. Este feito só foi conseguido mais tarde pelo americano Thomas Edison.

Paralelamente, em 1888, o alemão Heinrich Hertz conseguiu produzir as primeiras ondas de rádio e descobriu a possibilidade de transmitir informações pelo ar através destas ondas. Esta descoberta foi fundamental para a invenção do próprio rádio como meio de comunicação, mas propiciou também que fosse realizada a primeira ligação telefônica entre dois continentes, em 1914, e a criação do telefone sem fio em 1967. Elementos fundamentais para se chegar ao celular em 1973.

Quando surgiu o primeiro celular

Telemóvel

O telemóvel é um objecto muito útil. Quase todas as pessoas têm um. Mas afinal quem o inventou? De onde surgiu a ideia? Em que ano apareceu o primeiro telemóvel celular? Perguntas que vamos esclarecer agora.

Quem inventou o telemóvel?

O inventor do telemóvel foi Martin Cooper, que era director de projecto na Motorola.

Quando foi feita a primeira chamada de um telemóvel?

A primeira chamada feita de um telemóvel celular foi feita no dia 3 de Abril de 1973. Fez no dia 3 de abril de 2003 30 anos que o engenheiro Martin Cooper causou furor em Manhattam. Muitos nova–iorquinos pararam, boquiabertos porque viram um tipo a falar ao telemóvel na rua. Foi a primeira chamada feita de um telemóvel de que há registo. Foi um momento que acabaria de mudar a vida de milhões de cidadãos em todo o mundo.

De onde surgiu a ideia?

A ideia surgiu em 1947, quando alguns pesquisadores se aperceberam, que recorrendo a pequenas células poderiam aumentar a capacidade de comércio dos telefones móveis. No entanto, apesar de aqui estar a base do conceito, ainda não existia a técnica nem a possibilidade de alargar o comércio de conversação, já que a quantidade de chamadas possíveis de realizar ao mesmo tempo era muito reduzida. Foi necessário chegar a 1968, para que se compreendesse que era fundamental incrementar as comunicações móveis, dando frequências e possibilitando a existência de uma rede de comunicações móveis avançada.

Quando surgiu o primeiro telemóvel?

O primeiro telemóvel surgiu precisamente em 1973 quando a Motorola lançou as bases da primeira geração de telemóveis ao anunciar o DynaTACTM Cellular Phone, que pesava 1089 gr. Entretanto, em 1975, é registada a patente do sistema de rádio-telefone de Martin Cooper para a empresa Motorola, que, desta forma, é amplamente considerado o pai do telemóvel.

A evolução do telemóvel

Na segunda geração de telemóveis, o sistema GSM (Global System for Mobile) passou a desempenhar um papel muito importante, permitindo a melhoria das comunicações móveis. Começou a haver mais qualidade nas comunicações assim como surgiu a hipótese de utilizar o roaming internacional (possibilidade de a partir de um telemóvel realizar e receber chamadas num país estrangeiro). Em 1998, a popularidade do GSM continuou a acentuar-se, com a existência de 100 milhões de subscritores, cinco milhões de novos utilizadores/mês, 120 países envolvidos, com 300 operadores e com uma percentagem de 60% de telemóveis digitais com GSM.
Por todo o mundo proliferam as marcas e os modelos de telemóveis. Com o passar dos anos, o simples acto de usar telemóvel deixou de ser um factor decisivo em termos de importância social, já que entre cada modelo as diferenças são muito grandes. Assim, sendo, as características, o formato, o tamanho e o peso é que são factores determinantes para associar os utilizadores a determinados estilos de vida. Marcas como a Motorola, a Ericsson, a Nokia ou mesmo a Philips e a Siemens têm tentado ganhar pontos nos diferentes mercados. O telemóvel não é apenas usado para conversas telefónicas tradicionais, mas também já é possível receber e enviar e-mails, ou faxes e aceder à Internet a partir de um simples aparelho. Assim, os telemóveis são cada vez mais associados aos computadores, contribuindo todas estas características para a natural convergência das telecomunicações.

SMS

O SMS (Short Message Service ou Serviço de Mensagens Curtas) é uma função que permite aos utilizadores de telefones móveis a escrita, envio e recepção de pequenas mensagens de texto – até 160 caracteres por mensagem – que podem conter letras, números, símbolos ou uma combinação destes.

Esta funcionalidade, presente nos telemóveis de tecnologia digital, como é o caso do GSM (Global System for Mobile Communications), surgiu em 1992 quando as redes móveis e a Internet começavam a dar os seus primeiros passos. A primeira mensagem escrita foi enviada em Dezembro de 1992 de um computador pessoal para um telefone celular da rede Vodafone GSM, no Reino Unido.As operadoras móveis nacionais, bem como a maioria das internacionais, disponibilizam este serviço conjuntamente com outros serviços básicos das redes móveis, sem qualquer custo adicional ao do envio de cada mensagem.

As mensagens escritas, às quais a generalidade dos utilizadores dão o nome do próprio serviço, SMS, são muito utilizadas para enviar pequenos recados a outros utilizadores de telefones celulares, mas não só. É também através deste sistema que as operadoras móveis notificam os seus utilizadores quando eles têm uma mensagem de voz no seu gravador de mensagens (voice mail). Este serviço conta com milhares de adeptos e uma enorme popularidade.
As mensagens são rápidas e fáceis de escrever e a sua chegada ao destinatário é bastante célere. Como este é um serviço de mensagens curtas, é muito comum utilizarem-se abreviaturas (por exemplo, k em vez de que!) – estas, além de pouparem caracteres, tornam a escrita das mensagens ainda mais rápida. Também é comum os utilizadores deste serviço utilizarem os símbolos de pontuação para representarem emoções – tristeza, alegria ou mesmo uma gargalhada à semelhança do que acontece nos chats da Internet ou nos emails.

O Short Message Service tornou-se uma das funções dos telemóveis mais utilizadas – permite enviar a outros utilizadores da rede móvel pequenas mensagens, as operadoras móveis utilizam-no para notificar os seus clientes de que têm mensagens de voz, informá-los dos seus consumos ou da existência de novos serviços na rede e descobrem-se cada vez mais funcionalidades para este serviço, desde publicidade até ao envio de anedotas.

Do simples envio de uma mensagem escrita, o SMS torna-se cada vez mais abrangente, havendo mesmo modelos de telefones móveis que permitem enviar imagens, logótipos e melodias, dando lugar a um novo conceito, o EMS (Enhanced Messaging Service) ou seja o Serviço De Mensagens Realçado.

A terceira geração móvel anuncia um parente afastado do SMS, o MMS (Multimedia Messaging Service), que permitirá o envio de mensagens com elevado nível de personalização, texto formatado, imagens de grande qualidade e animações de áudio e vídeo.

MMS

O Multimedia Messaging Service (MMS) é, como o próprio nome sugere, a capacidade de enviar e receber mensagens multimédia. Assim, este serviço permite aos utilizadores de terminais equipados com MMS o envio de uma combinação de imagem, texto, áudio e vídeo numa única mensagem, que pode ser totalmente personalizada. O MMS é o novo padrão estabelecido pelo 3GPP (Third Generation Partnership Project), que reúne todas as entidades mundiais participantes no desenvolvimento da 3.a geração móvel e assume-se como uma forma inteiramente nova de comunicar.

Apesar do MMS ser um padrão do 3GPP, os seus serviços podem ser disponibilizados em qualquer interface aéreo baseado no protocolo IP (Internet Protocol), tal como nas redes GPRS (General Packet Radio Services) e EDGE (Enhanced Data rates for Global Evolution). Com o MMS, o utilizador vai poder enviar mensagens muito completas, não só de texto mas com cor, som, animação, imagens em tempo real, etc. O serviço suporta formatos como o GIF, o JPEG, o MPEG4, o MP3 e o WAV.

Apesar do Multimedia Messaging Service estar destinado a reinar nos equipamentos de 3G e na rede UMTS, a sua utilização é possível tecnicamente utilizando a tecnologia GPRS com velocidades que rondam os 42 kbps.
Tecnicamente, o MMS exigirá às operadoras móveis modificações substanciais. Enquanto o SMS necessitava apenas de um centro de mensagens que procedia ao armazenamento e envio das mensagens escritas, o MMS necessita de várias plataformas de suporte, além das já existentes. As novas plataformas são o MMS Relay, o MMS Message Store e o MMS User Database e incluem-se no MMSE (Multimedia Messaging Service Environment). O conceito de perfil de utilizador é uma novidade dos padrões

MMS. Um perfil de utilizador é gravado no operador da rede móvel, sendo definido e gerido pelo próprio utilizador através da Internet. Entre outras funcionalidades, este perfil determinará que mensagens podem ser descarregadas de imediato e quais as que ficam no servidor para uma recolha mais tardia, se o utilizador receberá notificações sobre mensagens enviadas/recebidas ou sobre o tipo destas. Este perfil pode também ser útil para criar filtros que, entre outras coisas, poderão impedir a recepção de mensagens não solicitadas ou indesejáveis.

Concluindo, o MMS incorpora as melhores funcionalidades do SMS melhorando-as e para além disso introduz novas possibilidades. O SMS e o MMS são muito diferentes no que respeita à forma como estão estruturados, sendo o último bastante mais complexo. As aplicações usadas bem como os dispositivos inerentes a cada um dos serviços são também muito diferentes, todavia o MMS mantém a compatibilidade com o SMS. Finalmente, a interacção do utilizador final com o MMS é também distinta, sendo mais atractiva.

Dicas de como passar em um concurso público
O toureito é o touro

Reactions

0
0
0
0
0
0
Já reagiu para este post.

Eu curti

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *